Shopping de Petrolina terá sessão azul do filme Divertidamente 2 para crianças com TEA

O cinema do River Shopping, em Petrolina, Sertão de Pernambuco, irá realizar uma “sessão azul”, adaptada para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), do filme Divertidamente 2. A exibição exclusiva será realizada neste sábado (29), a partir das 13h30.

A sessão terá as luzes e os efeitos minimizados para não causarem desconforto nas crianças e elas possam assistir ao filme de forma acolhedora. As pessoas com TEA e os acompanhantes pagam meia-entrada, que custa R$ 10.

Sinopse do filme

Divertidamente 2 gira em torno da personagem Riley, recém-chegada à adolescência, enquanto a sala de comando das emoções é demolida para dar espaço a algo inesperado: a chegada de novas emoções. A Alegria, Tristeza, Raiva, Medo e o Nojo, que estão no comando da mente da menina desde a infância, não sabem como reagir à chegada da Ansiedade e outras emoções que chegam com ela.

G1 Petrolina

Cineasta Toni Venturi, de A Comédia Divina, morre aos 68 anos

O cineasta Toni Venturi morreu, nesse sábado (18), aos 68 anos. De acordo com as informações divulgadas pela família do realizador, ele faleceu após passar mal enquanto nadava em uma praia no litoral de São Paulo.

A informação da morte foi confirmada pela esposa do cineasta, a atriz Débora Duboc. A família estava em São Sebastião, no litoral de São Paulo, para passar o fim de semana.

“Informo aos colegas e amigos que o cineasta Toni Venturi faleceu na tarde de hoje, 18, aos 68 anos, na localidade de Barra do Una, no município de São Sebastião. Toni, sentiu-se mal enquanto nadava na praia local”, diz o trecho do comunicado.

Diário de Pernambuco

Livro sobre centenário do cinema pernambucano será lançado nesta segunda (6)

Os jornalistas Ernesto Barros e Germana Pereira lançam, nesta segunda-feira (6), o livro “História Ilustrada dos 100 anos do Cinema Pernambucano”. A publicação apresenta um panorama do setor tendo como marco histórico 1923, ano do início da produção do longa-metragem Retribuição, considerado o primeiro filme de ficção feito em Pernambuco, até a premiada cena do cinema contemporâneo.

O lançamento da obra, publicada pela editora Tangram Cultural, com incentivo do Funcultura Audiovisual, será a partir das 19h, no Cinema da Fundação do Derby.

De acordo com Germana, a obra “é uma celebração visual, fruto de décadas de dedicação e pesquisa no campo audiovisual em Pernambuco, resultado da convergência de nossas trajetórias, o que nos permitiu explorar a diversidade da produção cinematográfica pernambucana”.

O livro perpassa do pioneirismo da produção pernambucana no início do século 20, com o início do Ciclo do Recife (1923-1931), passando pelo Ciclo do Super 8 (entre 1970-1980), até a fase mais profícua do audiovisual conterrâneo a partir dos anos 2000. Essa fase mais recente é representada por duas gerações de realizadores como Paulo Caldas, Marcelo Luna, Lírio Ferreira, Cláudio Assis, Clara Angélica e Hilton Lacerda, seguida por Marcelo Gomes, Kleber Mendonça Filho, Sérgio e Renata Pinheiro e Marcelo Pedroso, entre outros.

“Nós trabalhamos nessa pesquisa como uma espécie de enciclopédia”, disse Ernesto Barros, responsável pelos textos. Ele, que é jornalista com experiência em cobertura de festivais e crítica cinematográfica, lançou mão dessa experiência para a publicação. “Durante esses anos todos, fui um interlocutor de vários desses cineastas. Hoje a gente tem um cinema que produz muito, que tem voz própria”, afirmou.

Resgate Histórico
A partir de uma investigação empreendida sobretudo no Arquivo Público Estadual e nos arquivos da imprensa local e da Fundação Joaquim Nabuco, o livro registra desde o primeiro filme de enredo, produzido pela Aurora-Film, passando pelo anúncio da inauguração do Cinema São Luiz no extinto jornal Folha da Manhã, em setembro de 1952, e o surgimento do Grupo de Cinema Super 8 do Recife, com Fernando Spencer e Celso Marconi, até o prêmio especial do júri para Bacurau (2019), de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, e o Prêmio Illy de Melhor Curta-Metragem na Quinzena dos Realizadores, ambos em Cannes, para Sem Coração (2023), de Nara Normande e Tião, atualmente em cartaz.

“É um convite para uma imersão nos filmes e eventos significativos que moldaram nosso cenário cinematográfico e a uma reflexão sobre as transformações sociais, paisagísticas, políticas, econômicas e culturais ao longo desta jornada. Mais do que narrar uma história, o livro é uma homenagem aos realizadores, artistas, técnicos, produtores e entusiastas que contribuíram para cada cena capturada nas telas ao longo de um século. Cenas que influenciaram e continuam a influenciar a identidade cultural de Pernambuco a partir do cinema”, disse Germana.

“Ao celebrarmos esses 100 anos de cinema em Pernambuco, também celebramos valores como paixão, talento, criatividade, luta e resistência, que permeiam cada página deste livro. Que esta leitura inspire novos projetos e contribua para manter viva a chama da cinefilia por muitas gerações em todo o país.”

O prefácio foi escrito pela pesquisadora e professora Amanda Mansur e abre as portas para a imersão na história ilustrada dos cem anos do cinema em Pernambuco. A capa, concebida por Carla Sarmento, é uma entrada visual para o mundo cinematográfico pernambucano. A versão e-book, que será lançada em breve, conta com audiodescrição da COM Acessibilidade Comunicacional.

JC

Mostra de cinema dos 50 anos da animação em Pernambuco será exibida em Petrolina

A “Mostra 50 anos da Animação em Pernambuco” está sendo realizada desde o dia 30 de abril e segue até o dia 17 de maio. Em Petrolina, a exibição será no sábado (11), às 18h, no Espaço Cultural Janela 353. A entrada é gratuita, mediante a capacidade do local.

A programação da Mostra é composta por uma sessão especial com 13 filmes que ajudam a contar a história e evolução da animação pernambucana, seguida por um debate com pesquisadores e cineastas sobre os desafios e perspectivas para o futuro. O coordenador geral da Mostra é Marcos Buccini, cineasta e pesquisador na área de teoria e história da animação, dirigiu 9 filmes em animação digital e foi vencedor de 50 prêmios.

Para a escolha das obras foi considerada a diversidade de técnicas, estilos, narrativas e linguagens, além da carreira em festivais e premiações recebidas pelos filmes. A curadoria é assinada por Marcos Buccini e Lula Gonzaga, patrimônio vivo do cinema pernambucano. A exibição no município será no sábado (11), às 18h, no Espaço Cultural Janela 353. A entrada é gratuita, mediante a capacidade do local.

Cada cidade tem um programação específica, exibindo alguns dos filmes selecionados para o evento. Confira:

– Vendo / Ouvindo | 5’ | Lula Gonzaga e Fernando Spencer | PE | 1972
– A Saga da Asa Branca | 7’ | Lula Gonzaga | PE | 1979
– SomoS SomoS | 6’ | André Phyrrho e Paulo Leonardo | PE | 2005
– A Morte do Rei de Barro | 4’ | Marcos Buccini e Plinio Uchôa | PE | 2005
– Até o Sol Raiá | 11’ | Fernando Jorge e Leanndro Amorim | PE | 2007
– O Jumento Santo e a Cidade que Acabou Antes de Começar | 12’ | Leonardo Domingues e William Paiva | PE | 2007
– Voltage | 4’ | Felippe Lyra e William Paiva | PE | 2008
– As Aventuras de Paulo Bruscky | 20’ | Gabriel Mascaro | PE | 2010
– Visceral | 7’ | Bruno Cabús | PE | 2012
– Deixem Diana em Paz | 10’ | Júlio Cavani | PE | 2013
– O Ex-mágico | 11’ | Olímpio Costa e Maurício Nunes | PE | 2016
– Guaxuma | 14’ | Nara Normande | PE | 2018- Um Peixe para Dois | 10’ | Chia Beloto e Marila Cantuária | PE | 2019

Do litoral ao sertão, além de Recife, que já foi contemplada, outras duas cidades também fazem parte da programação no Estado. Garanhuns, dia 16/05, no Centro de Produção Cultural do SESC, às 19h; e Triunfo, dia 17/05, no Cine Teatro Guarany, às 14h.

A “Mostra 50 anos da Animação em Pernambuco” é incentivada pelo FUNCULTURA, da Fundarpe, Governo do Estado de Pernambuco. Tem produção da Bonsucesso Comunicação e Cultura. Parceria com a Mostra Inhumas e apoio do SESC Pernambuco (CPC – Garanhuns), curso de Jogos Digitais da UNICAP, do Espaço Cultural Janela 353 e Cineteatro Guarany.

G1 Pernambuco

‘Internet dos anos 2010’ pode levar um Oscar neste domingo com ‘Vidas Passadas’

Se você é millenial, provavelmente passou pela experiência de reencontrar amigos de infância ou adolescência no Facebook (ou quem sabe até no Orkut) após anos sem contato, seja por uma mudança de endereço, escola ou por uma separação involuntária causada pelo destino.

Vidas Passadas, que concorre ao Oscar de melhor filme no domingo, 10, tem como ponto central de sua história essa reconexão por meio do Facebook no início da década de 2010, quando a plataforma ainda tinha um grande enfoque social e estava longe de escândalos políticos e éticos.

O drama romântico explora três momentos da vida de Na Young e Hae Sung, dois indivíduos millenials que se separam após uma forte amizade na infância, em Seoul, na Coreia do Sul. Aos 12 anos, Na Young imigra com sua família para Toronto, no Canadá, onde assume o nome de Nora Moon, perdendo o contato com Hae Sung e se ocidentalizando.

Doze anos se passam e Nora, agora uma escritora com 24 anos de idade morando em Nova York, se depara com um post de Hae Sung no Facebook em busca de sua amiga de infância, Na Young, sem saber sobre sua mudança de nome. O filme também aborda o esforço que a personagem Nora precisa fazer para escrever mensagens em coreano a Hae, usando um teclado de padrão norte-americano. Para auxiliá-la, ela escreve em uma folha de papel os caracteres do alfabeto coreano correspondentes às teclas do teclado QWERTY.

O retrato poético que ‘Vidas Passadas’ faz da tecnologia e seu impacto nos destinos individuais, reconectando pessoas em diferentes contextos e momentos de suas vidas, foi inspirado pela própria jornada pessoal da diretora e roteirista Celine Song.

‘Vidas Passadas’ está em cartaz nos cinemas. A cerimônia de premiação do Oscar, na qual o filme concorre nas categorias de Melhor Filme e Melhor Roteiro Original, acontece neste domingo, 10, a partir das 20h (horário de Brasília).

Estadão

Pernambucano Guel Arraes ganha prêmio de Melhor Diretor com ‘Grande Sertão’ em festival europeu

O diretor pernambucano Guel Arraes ganhou o prêmio de melhor direção no Critic’s Pick no Tallinn Black Nights Film Festival (PÖFF), na Estônia, com o filme “Grande Sertão”, uma livre adaptação da obra de Guimarães Rosa, produzido pela Paranoid Filmes.

“Prêmio de direção significa prêmio para os artistas e produtores do filme também porque ele só é possível se tudo isso funciona junto. É interessante também que um filme tão ancorado na realidade brasileira e na recriação do português que faz Guimarães Rosa tenha se destacado num festival internacional”, diz o cineasta.

“Grande Sertão” foi exibido na 27ª edição do Tallinn Black Nights Film Festival, na Estônia, onde fez sua estreia mundial, com a presença do ator Luiz Miranda, que interpreta Zé Bebelo no filme, que comentou a participação do longa no evento: “Este é um festival muito importante e o prêmio mostra que a história tem potência para viajar. É um filme de amor e de guerra, em um momento em que o Brasil e o mundo vivem muitas guerras e muitas vezes a gente nem entende os motivos desses conflitos.

A diretora Flavia Lacerda complementa. “A boa recepção do filme também confirma o quanto esta história é atual nesse contexto mundial tão violento, onde a questão do bem e do mal está muito em evidência”.“Grande Sertão” foi bem recebido pela imprensa internacional do festival: “Um filme verdadeiramente extraordinário”, escreveu Jeremy Clarke, no site dmovies.

No debate realizado após a exibição, o produtor Manoel Rangel destacou a “fidelidade” do longa ao espírito de Guimarães Rosa. “Guel teve coragem por enfrentar, num tom épico, no lirismo e na ética do Grande Sertão Veredas, temas centrais da vida brasileira de hoje como a guerra urbana e o assassinato dos jovens negros da periferia”.

Iniciado em 1997 em Tallinn, capital da Estônia, o Tallinn Black Nights Film Festival, também conhecido como PÖFF, é um dos maiores festivais de cinema do norte da Europa e uma das plataformas regionais mais movimentadas da indústria. Em 2014, a mostra conseguiu o credenciamento da FIAPF (Federação Internacional da Associação dos Produtores de Filmes) e desde então entrou na categoria A dos festivais.

Protagonizado por Caio Blat (Riobaldo) e Luisa Arraes (Diadorim), o filme ainda traz no elenco nomes como Rodrigo Lombardi (Joca Ramiro), Eduardo Sterblitch (Hermógenes), Luis Miranda (Zé Bebelo), Mariana Nunes (Otacília) e Luellem de Castro (Nhorinhá). O longa transpõe o universo da violência dos jagunços do sertão para o território das organizações criminosas da periferia urbana de uma comunidade brasileira, em um tempo indeterminado. A história, narrada em tom épico, segue a trajetória de Riobaldo, professor que ingressou no bando por amor a Diadorim.

Produzido pela Paranoïd Filmes em coprodução com a Globo Filmes e distribuição da Paris Filmes, o longa tem estreia prevista para 30 de maio de 2024.

Agência O Globo

Curta-metragem produzido em Petrolina é premiado na 14ª edição do Festival de Cinema de Triunfo

O curta-metragem “Mãe”, gravado em Petrolina (PE), no início do ano, foi um dos vencedores da 14ª edição do Festival de Cinema de Triunfo (PE), neste final de semana. O filme, dirigido por Natália Tavares, foi premiado como melhor curta-metragem pernambucano, pelo Júri da Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas de Pernambuco/Associação Pernambucana de Cineastas (ABD/Apeci), e escolhido pelo Júri Oficial do Festival na categoria ‘melhor ator – curtas, médias e experimental’ pela atuação de Guilherme Alves, como o garoto Luís, protagonista da história.

Guilherme é petrolinense e em “Mãe”, aos 11 anos, teve o seu primeiro papel como protagonista no cinema. “Fiquei particularmente feliz por Guilherme receber um prêmio num festival tão importante do circuito brasileiro. Acho que é um incentivo sem tamanho quando se é tão jovem. Espero que ele possa realizar seus sonhos e seguir nessa carreira se assim desejar, mesmo tendo nascido e crescido numa cidade do interior. Por isso é tão importante investir em políticas culturais, são elas que permitem que filmes como ‘Mãe’ sejam realizados e talentos como o de Guilherme sejam descobertos”, pontua a diretora Natália Tavares, lembrando que o filme recebeu incentivo do edital Funcultura audiovisual 2020/2021.

O Festival de Triunfo marcou a primeira exibição de “Mãe” em tela grande, a estreia do filme em festivais e rendeu os primeiros prêmios do curta. “Ver meu filme pela primeira vez no cinema, em tela grande, foi uma experiência sem igual. É quando exibimos um filme para uma audiência que a magia do cinema acontece e vê-lo sendo bem recebido pelo público foi muito especial. A curadoria e programação do festival estavam fantásticas. Vi muitos filmes bons e foi uma honra estar em uma seleção com obras tão incríveis”, avaliou Natália.

“Mãe”

Em 22 minutos, o curta-metragem conta a história de Luís (Guilherme Alves), um garoto de 11 anos que vive em um povoado de beira de estrada, no sertão pernambucano, apenas com sua mãe, Selma (Zuleika Bezerra), depois de ser abandonado pelo pai quando ainda era um bebê. Após ter sonhos estranhos e notar uma movimentação suspeita no quintal de sua casa, Luís começa a desconfiar que sua própria mãe esteja envolvida no desaparecimento dos homens do povoado. O filme explora o limite do sobrenatural, onde o abandono e o isolamento fazem os personagens tomarem decisões irreversíveis.

O filme foi rodado em janeiro de 2023, na comunidade do Capim e na Vila 12, em Petrolina. Além de Guilherme Alves e Zuleika Bezerra, a equipe de produção é composta por mais de 90% de profissionais de Petrolina e Juazeiro, como o artista plástico Antônio Carlos Coêlho de Assis, o “Coelhão”, que dá vida à Seu Ciço.

Ficha Técnica:

“Mãe” foi fomentado pelo 15° EDITAL DO FUNCULTURA 2020/2021 e produzido pela Cuy Filmes. / Dirigido por: Natália Tavares / Produzido por: Natália Tavares e Julian Nebreda-Bello / Escrito por: Natália Tavares e Cleiton Costa / Com Guilherme Alves, Zuleika Bezerra e A.C. Coêlho de Assis “Coelhão” / Direção de Fotografia: Rafael de Almeida / Direção de Arte e Figurino: Letícia Rodrigues / Produção e Preparação de Elenco:  Antonio Veronaldo / Trilha Sonora Original: Sebastián Díaz / Montagem: Raphaela Spencer / Direção de Produção: Cristiane Crispim / Maquiagem: Karina Matos e Pryscilla Caprytte- Movimento Mais que Make / Assistente de Direção: Cleiton Costa / Som Direto: Alex Guterres / Coordenação de Produção: Severo Filho / Assistente de Arte e Figurino: Jhennyson Santiago /Making Of, Still e Assit. de Câmera: Fernando Pereira / Assist. Câmera: Leandro Cunha / Design Gráfico: Daniel Tagliari

Eneida Trindade

‘Cine Comunidade’ leva cinema gratuito para a Vila 12 em Petrolina

Os moradores da Vila 12 em Petrolina, tiveram uma noite bem diferente nesta quarta-feira (12). Eles foram contemplados com o ‘Cine Comunidade’, um projeto da Prefeitura de Petrolina, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDESDH) que tem como proposta exibir filmes em locais públicos de forma gratuita.

Muitos olhares curiosos aguardavam ansiosos pela exibição do filme ‘Minions 2’. A presidente da Associação de Moradores da Vila 12, Francineide Pereira da Silva, conhecida na comunidade como Neidinha, levou toda a família para curtir a sessão de cinema, que teve direito a pipoca, cachorro-quente e refrigerante. “Eu amei o projeto, achei uma ótima oportunidade para as crianças se divertirem e os adultos também. Todos da comunidade gostaram, a gente só tem a agradecer o prefeito Simão Durando por trazer esse lazer para gente”, disse Neidinha.

O prefeito Simão Durando sempre reforça que nosso papel, enquanto poder público, é oferecer serviços e também proporcionar lazer e entretenimento para os petrolineneses. Foi com esse intuito que o ‘Cine Comunidade’ foi criado e iremos continuar levando cinema gratuito para mais bairros e distritos de Petrolina”, destaca a secretária executiva de Juventude da SEDESDH, Rosarinha Coelho.

 

Fotos: Erlan Alexandre

Irislane Pacheco – Ascom Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDESDH)

Cine Sesc Dona Amélia apresenta “Amores de Chumbo”

No mês de abril, o Cine Sesc Dona Amélia vai exibir o filme “Amores de Chumbo”. A primeira sessão será no dia 12, às 19h, no Cineteatro Massangano, no CEU das Águas, do bairro Rio Corrente. No dia 19, no mesmo horário, o público poderá conferir o filme no Espaço Cultural Janela 353, no Centro da cidade. A entrada é gratuita.

Com direção de Tuca Siqueira, “Amores de Chumbo” mostra o ressurgimento de um misterioso triângulo amoroso do passado. Miguel e Lúcia estão prestes a comemorar seu aniversário de 40 anos de casamento, mas a chegada de Maria Eugênia acaba atrapalhando os planos do casal, já que junto com seu retorno, voltam também as memórias dos amores vividos entre Miguel e Maria. Além dos horrores dos anos de chumbo, período da ditadura militar no Brasil. A classificação etária do filme é de 14 anos. A programação conta com o apoio da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esportes e do Espaço Cultural Janela 353.

Cine Sesc – O Cine Sesc é um dos maiores circuitos de exibição de filmes no país. Com mais de uma década de existência, a iniciativa promove a circulação, difusão e o acesso a produções cinematográficas nacionais e internacionais. Apresenta obras com formas narrativas impactantes e que trazem reflexões sobre relevantes questões sociais, sempre alinhadas com os princípios sociais que movem a Instituição, incentivando o debate em torno do cinema brasileiro e internacional, comercial ou independente, em um eixo educativo, artístico e cultural. Nessa perspectiva, o projeto propõe um recorte temático, com filmes que abordam assuntos sociais relevantes.

Sesc – Fundado em 1947 em Pernambuco, o Serviço Social do Comércio é uma instituição privada mantida pelos empresários do comércio de bens, serviços e turismo. Atuante na Região Metropolitana do Recife, Zona da Mata Norte, Zona da Mata Sul, Agreste e Sertão, por meio de 23 unidades fixas, incluindo os hotéis Guadalupe (Sirinhaém), Triunfo e Garanhuns. Oferece atividades gratuitas ou a preços populares nas áreas de Educação, Cultura, Lazer, Assistência e Saúde, inclusive para quem dispõe do Cartão do Empresário da Fecomércio/PE. No campo digital, a instituição oferece o aplicativo Sesc-PE, facilitando acesso às atividades, renovação e habilitação da credencial entre outras funcionalidades, e disponibiliza a plataforma Sesc Digital (https://cursos.sescpe.com.br/todos). Por ela, é possível conhecer o cronograma de cursos e realizar a inscrição de forma online e segura. Para acompanhar todas as informações sobre o Sesc, acesse www.sescpe.org.br.

Serviço: Cine Sesc Dona Amélia

Datas: 12 e 19 de abril, às 19h

Locais: Cineteatro Massangano | CEU das Águas (localizado à Rua do Tamarindo, s/n, Rio Corrente) e Espaço Cultural Janela 353 (localizado à Rua Antonio Santana Filho, 353, Centro| 1º andar do Café de Bule)

Entrada: gratuita

Classificação: 14 anos

Informações: (87) 3866-7454