Ministério acompanha caso de aborto legal negado pela Justiça em Goiás

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, disse hoje (13), em uma rede social, que a pasta acompanha o caso da desembargadora e da juíza que negaram o aborto legal a uma menina de 13 anos vítima de estupro em Goiás.

Para a ministra, é preciso reforçar que casos como este sequer deveriam ter que passar pelo crivo da Justiça. Ela lembrou que a legislação brasileira é clara ao dizer que se a gravidez é decorrente de estupro, põe em risco a vida da gestante ou há anencefalia, a gestante tem o direito de interromper a gravidez.

“Exigências desnecessárias como autorizações judiciais transformam a busca pelo aborto legal em um calvário na vida de meninas e mulheres. Como falamos tantas vezes nas últimas semanas, criança não é mãe, estuprador não é pai e a vida de uma criança corre risco se mantida a gravidez. Não podemos admitir nenhum retrocesso nos direitos das meninas e mulheres”,  escreveu Cida Gonçalves.

Intimação
Na sexta-feira (12), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu intimar as duas magistradas do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) a prestarem esclarecimentos sobre decisões judiciais que negaram a interrupção da gravidez à menina. Em sua decisão, o Corregedor Nacional de Justiça, Luis Felipe Salomão, afirmou que “é inequívoca a urgência e a gravidade do caso”, razão pela qual determinou a intimação da juíza e da desembargadora.

A decisão pela intimação da desembargadora e da juíza foi tomada pelo corregedor-nacional a partir de matéria jornalística divulgada pelo site Intercept Brasil. De acordo com a publicação, o aborto legal foi negado por um hospital de Goiás e em duas decisões judiciais proferidas pela juíza Maria do Socorro de Sousa Afonso e Silva e a desembargadora Doraci Lamar Rosa da Silva Andrade.

A reportagem também informou que a vítima está na 28ª semana de gestação e tenta interromper a gravidez desde a 18ª semana. Segundo o corregedor, o caso, se comprovado, aponta para prática de falta funcional com repercussão disciplinar.

Defesa
Procurado pela Agência Brasil, o Tribunal de Justiça de Goiás declarou que não vai se manifestar sobre o caso porque as decisões envolvendo a menor estão em segredo de Justiça. Sobre a intimação das magistradas, o tribunal informou que “todas as providências determinadas pelo CNJ são cumpridas imediatamente”.

Agência Brasil

Queda de meteoro ilumina o céu de cidades do Agreste de Pernambuco;

Uma queda de meteoro iluminou o céu de cidades do Agreste de Pernambuco na madrugada deste sábado (13), por volta das 00h10. O incidente foi registrado em vídeo por alguns moradores e por câmeras de segurança.

O clarão foi visto por moradores das cidades de Garanhuns e Correntes, no Agreste Meridional do estado. Ao g1 Caruaru e região, Clébio Francisco, Técnico em informática, disse que mora no bairro Novo, em Correntes e que o vídeo foi gravado pela câmera de segurança que fica localizada na lateral da residência onde ele mora.”Nunca viu algo parecido no céu da cidade. Meu irmão mora em Garanhuns, quando viu o meteoro no céu e ligou para mim, me avisando do fenômeno”, disse.

O presidente da Associação Astronômica de Arcoverde que disse que o meteoro visto pelos moradores, trata-se de um bólido de tamanho significativo, que cruzou os céus de alguns estados do nordeste. O Bólido é como se fosse uma estrela cadente muito brilhante. Alguns deles podem ser várias vezes mais brilhantes que a Lua cheia por causa desse atrito, da queima da rocha enquanto ela está entrando na atmosfera.

“Ele vem em formato de meteoro, aí em contado com a atmosfera terrestre ele se desintegra, porém quando toca o solo terrestre vira meteorito! Na atmosfera ele cria esse rastro de fogo, dependendo da tonalidade é que se sabe a sua composição química”, contou.

G1 Pernambuco

Cai o número de americanos que consideram presidente Biden “mentalmente afiado”, diz pesquisa

O número de americanos que consideram o presidente Joe Biden, candidato democrata à reeleição para a Casa Branca, “mentalmente afiado” encolheu para a mínima histórica de 24%, indica a pesquisa do instituto Pew Research Center publicada na quinta-feira 11, realizada após o debate televisivo com o ex-presidente republicano Donald Trump.

O índice vem caindo ao longo da presidência de Biden, que foi eleito em novembro de 2020 após derrotar Trump no pleito. Nessa época, o porcentual era de 46%. Em 2021, cresceu para o pico da série histórica, de 53%. Em abril de 2023, era de 33%, encolhendo para 30% em janeiro de 2024. O candidato republicano, por outro lado, é visto como “mentalmente afiado” para 58% dos entrevistados pelo Pew Research Center. Em 2020, durante a campanha, esse porcentual era de 50%.

Biden tem sido alvo de críticas de parte da opinião pública dos Estados Unidos, que aponta que o democrata, 81, não está apto para o cargo após um desempenho desastroso no primeiro debate presidencial, realizado em 27 de junho e transmitido ao vivo. Desde então, o atual presidente tem tentado garantir a candidatura, mesmo em meio a manifestações contrárias de aliados (como a ex-presidente da Câmara americana e amiga, Nancy Pelosi) e de financiadores.

O Pew Research Center aponta que Biden é “honesto” para 48% dos entrevistados. Para Trump, o porcentual é de 36%. A pesquisa indica que ambos os candidatos são considerados “constrangedores” para 63%, incluindo para 37% e 33% dos candidatos de cada apoiador, respectivamente.

Trump lidera a corrida presidencial, com 44% das intenções de voto. O republicano está na frente de Biden, com 40%, e do candidato independente Robert F. Kennedy Jr. (15%). Na simulação de uma disputa entre o republicano e o democrata, a pesquisa aponta vitória apertada de Trump sobre Biden: 50% a 47% para o atual presidente. A pesquisa do Pew Research Center foi conduzida entre 1º e 7 de julho com 9.424 adultos, incluindo 7.729 eleitores aptos.

Estadão Conteúdos

Biólogos tentam salvar fauna ameaçada pelo fogo no Pantanal

Quatro anos após os devastadores incêndios que incineraram cerca de 30% do Pantanal brasileiro, o fogo volta a ameaçar as espécies animais que vivem na região, considerada um santuário da biodiversidade e um patrimônio natural da humanidade. Enquanto brigadistas, bombeiros, militares e voluntários tentam apagar as chamas as chamas, biólogos, veterinários e outros profissionais se dedicam a minimizar o sofrimento animal

“O fogo é um fator estressante para a biodiversidade. Devemos ter muito cuidado, pois é difícil prever por quanto tempo mais toda essa abundância em termos de fauna e flora resistirá até começarmos a perder irremediavelmente espécies para esses incêndios intensos, que têm queimado repetidas vezes as mesmas áreas”, disse à Agência Brasil o biólogo Wener Hugo Arruda Moreno, do Instituto Homem Pantaneiro (IHP), organização não governamental (ONG) que desde 2002 atua na conservação e preservação do Pantanal.

O instituto é uma das organizações da sociedade civil que integram o Grupo de Resgate Técnico Animal Cerrado Pantanal (Gretap), junto a representantes de órgãos, entidades e instituições sul-mato-grossenses e federais, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O grupo foi instituído em abril de 2021, na esteira dos incêndios que se seguiram à grande seca de 2019 e 2020, a mais severa registrada em 50 anos. Cabe ao Gretap monitorar, avaliar, resgatar e dar assistência a animais afetados por  eventuais desastres ambientais no Mato Grosso do Sul. Pela experiência de seus integrantes, em maio deste ano, parte do grupo viajou ao Rio Grande do Sul, onde participou do resgate e atendimento a animais domésticos e silvestres atingidos pelas recentes enchentes no estado.

Estudo que pesquisadores brasileiros publicaram em dezembro de 2021, no periódico Scientific Reports, estima que, em 2020, os incêndios pantaneiros mataram, diretamente, cerca de 17 milhões de animais vertebrados.

A mortalidade foi maior entre as pequenas serpentes (os especialistas estimam que 9,4 milhões delas morreram) e pequenos roedores (3,3 milhões). Aproximadamente 1,5 milhão de aves morreram queimadas, intoxicadas ou, posteriormente, de fome. As chamas ou suas consequências também tiraram a vida de 458 mil primatas, 237 mil jacarés e 220 mil tamanduás.

Ainda é cedo para dizer se a tragédia se repetirá este ano, em dimensões semelhantes. Contudo, autoridades já reconhecem que o número de focos de incêndio registrados no bioma ao longo do primeiro semestre deste ano é o maior para o período dos últimos 26 anos, superando inclusive o resultado de 2020.

Mapbiomas
Além disso, de acordo com a rede Mapbiomas, em junho deste ano foi registrada a maior média de área queimada para o mesmo mês desde 2012. A marca superou a média histórica de setembro, mês em que os focos de calor tendem a intensificar, dada a persistência do clima seco. “Aqui, em Mato Grosso do Sul, nosso trabalho se intensificou muito nos últimos tempos, principalmente no último mês”, afirmou Moreno.

“Estamos frequentemente indo às áreas pantaneiras atingidas pelos incêndios. Verificamos o ambiente, e vemos se os animais estão retornam às áreas debilitados, ou se as espécies que lá permanecem têm refúgios para obter os recursos necessários à sobrevivência. Temos observado muitas carcaças de répteis, pequenos roedores e anfíbios, mas ainda estamos começando o processo de contagem”, disse Moreno. Ele destacou a velocidade com que o fogo tem se espalhado pela vegetação, que nesta época do ano costuma estar bastante seca.

“O Pantanal não é para amadores. É preciso conhecer bem a área, saber como se formam os corredores de propagação do fogo. O fogo é assustador. A velocidade com que ele avança e o tamanho da área atingida são impressionantes. Combater às chamas e proteger a fauna é um trabalho difícil.” Segundo Moreno, antes de ir a campo, os agentes precisam fazer um diagnóstico preliminar da área, usando drones e ferramentas de geoprocessamento.

“Temos que esperar entre 48 horas e 72 horas a partir do fim das chamas para podermos deslocar uma equipe para determinado lugar, sob risco de deixar as pessoas em perigo”, acrescentou Moreno, destacando os riscos da atividade.

“Daí a sensação de alívio que sinto quando localizamos um animal que, apesar de tudo, não precisa de resgate, que basta o monitorarmos e, se preciso, suplementar a alimentação até que a vegetação se recomponha.”
No fim do mês passado, o fotógrafo da Agência Brasil, Marcelo Camargo, passou dias acompanhando brigadistas combatendo as chamas. Camargo testemunhou e registrou o sofrimento animal e a devastação da vegetação pantaneira. Na manhã do dia 30, enquanto se deslocavam, de helicóptero, para uma área de difícil acesso, as equipes avistaram um tuiuiú, ave símbolo do Pantanal, pousado na copa de uma grande árvore, em meio a uma área ainda fumegante. Olhando mais atentamente, perceberam que o animal parecia estar protegendo seus ovos, em um ninho construído entre os galhos mais altos.

“Seria o primeiro dia de atuação da equipe de brigadistas quilombolas da comunidade Kalunga, de Cavalcante [GO], na região. Estávamos a caminho de uma área de mata fechada com um grande número de focos de incêndio, a cerca de 50 quilômetros de Corumbá [MS]. Durante o percurso, o piloto do helicóptero avistou o tuiuiú e identificou o ninho, no alto da árvore, com ao menos três ovos dentro. Ainda havia um foco de incêndio ao redor da árvore, que estava expelindo fumaça. Os pilotos sobrevoaram o local para marcar as coordenadas [de geolocalização], para que os brigadistas tentassem acessar o local em outro momento. Eu então consegui registrar minhas primeiras imagens”, contou Camargo ao retornar a Brasília.

“Seguimos para nosso destino, a partir de onde os brigadistas tiveram que abrir caminho em meio à mata fechada. Foram cerca de duas horas só para conseguirmos chegar ao foco do incêndio. E após muitas horas, no horário combinado para o helicóptero nos resgatar, não tínhamos conseguido chegar nem perto do local onde avistamos o tuiuiú. Durante o voo de volta a Corumbá, eu ainda fiz mais umas fotos. Havia ao menos um pássaro, aparentemente guardando o ninho. Outras pessoas, em outras aeronaves, disseram ter visto dois pássaros adultos, um casal, mas isso eu não presenciei. Na manhã seguinte, o piloto do primeiro helicóptero que passou pelo local já não encontrou a árvore de pé. Mais tarde, quando consegui lugar em uma aeronave, consegui identificar parte da árvore caída no chão e o ninho, aparentemente queimado, próximo”, relatou o fotógrafo da Agência Brasil.

Uma família de bugios teve um pouco mais de sorte. Ou muito mais sorte, considerando que, apesar de expulsos de seu bando e com dificuldades para encontrar alimentos, não sofreram qualquer ferimento e estão recebendo ajuda dos membros do Gretap, conforme contou o biólogo do Instituto do Homem Pantaneiro.

“Recebemos o chamado de uma senhora, ribeirinha, que achava que a fêmea tinha sofrido queimaduras e precisava de cuidados. Ao chegarmos à área, na região de Baía do Castelo, na margem direita do Rio Paraguai, a cerca de duas horas de viagem de barco a partir de Corumbá, encontramos um bando de bugios e macacos-da-noite. Só na segunda tentativa localizamos, isolada, a fêmea que procurávamos. Ela não tinha queimaduras. Era seu filhote, recém-nascido, bastante magro e debilitado, que estava se segurando nela. Além da fêmea com seu filhote, havia um macho. Provavelmente, os três foram expulsos de seu grupo devido à escassez de recursos. Nestes casos, nossa estratégia é monitorar os animais. Administramos um pouco de frutas, um aporte nutricional básico, e instalamos câmeras na área para podermos observar se o bando vai aceitar os alimentos”, concluiu  Wener Hugo Arruda Moreno.

Devastação
Coordenadora operacional do Grupo de Resgate Técnico Animal Cerrado Pantanal (Gretap), a bióloga e veterinária Paula Helena Santa Rita reforça que as consequências de mais uma temporada de fogo sem controle estão sendo “devastadoras” para os animais.

“Para a fauna, as consequências são as piores possíveis. Vão da morte direta de animais, por incineração e inalação de fumaça e fuligem, a mortes posteriores, por falta de alimentos e outras questões, podendo, inclusive, no limite, interferir na questão da reprodução das espécies, caso haja a perda de um número significativo de indivíduos”, explicou Paula.

“Alguns fatores, como a própria ação humana, se somaram e tivemos a antecipação [ocorrência] do fogo. Nós [do Gretap] estamos monitorando a situação, principalmente em locais por onde o fogo já passou, e fazendo o aporte nutricional básico quando necessário. Também deslocamos alguns animais que encontramos próximos a áreas de fogo”, concluiu a coordenadora do Gretap.

Agência Brasil

Laboratório de drogas é encontrado em imóvel localizado em bairro boêmio de Salvador

Um laboratório de drogas foi localizado em um imóvel no bairro do Rio Vermelho, região boêmia de Salvador, na noite da sexta-feira (12). De acordo com a Polícia Militar, atividades de inteligência identificaram um imóvel que era utilizado para o tráfico de drogas.

Equipes da Rondesp-Atlântico se deslocaram até o local, onde foram recebidos por uma mulher, que liberou a entrada dos militares para uma vistoria. No imóvel, foram encontradas drogas, balanças de precisão, dinheiro, caderno de anotações, entre outros

Em seguida, a mulher levou os militares em outro imóvel, na mesma região, onde foi encontrado um laboratório de drogas para produção dos entorpecentes encontrados no primeiro local.

Confira lista do material apreendido:
grande quantidade de substância análoga a maconha;
9 tabletes de substância análoga a “kush”;
R$ 157,35 em espécie;
1 pedra de substância análoga a crack;
11 balanças de precisão;
6 recipientes de fertilizantes;
1 prensa hidráulica;
2 ventiladores pequenos;
1 climatizador para a estufa;
1 tubulação para exaustão do calor;
1 caderno de anotação;
1 estufa;
diversos recipientes para acondicionar droga;
2 celulares.

G1 BAhia

Jovem autista se assusta com polícia e é baleado por PM no RJ

Um jovem que, de acordo com a família, apresenta espectro autista, foi ferido na coxa por um tiro disparado por um policial civil. O caso ocorreu na última quarta-feira (10/7), em Magé, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro.

Segundo relatos, a vítima, de 30 anos e de identidade não revelada, teria se assustado com uma viatura policial e correu. Devido a essa reação, o rapaz foi perseguido e baleado.

O tiro causou uma fratura exposta do fêmur da perna direita, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde de Duque de Caxias e do Hospital Municipalizado Adão Pereira Nunes (HMAPN).

Diário e Pernambco

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 15 milhões

As seis dezenas do concurso 2.748 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço da Sorte, localizado na Avenida Paulista, nº 750, em São Paulo.

O sorteio terá transmissão ao vivo pelo canal da Caixa no YouTube e no Facebook das Loterias Caixa. O prêmio está acumulado em R$ 15 milhões.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet.O jogo simples, com seis números marcados, custa R$ 5.

Agência Brasil

ECA completa 34 anos de luta e proteção dos direitos das criança e adolescentes neste sábado (13)

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) completa 34 anos de história e luta pela proteção dos direitos neste sábado (13). Por mais que seja um marco fundamental para a população brasileira, o ECA ainda enfrenta muitos desafios para ter plena implementação no território nacional. O momento, por mais que seja de celebração do aniversário, também pede muita reflexão para que essa realidade seja combatida.

“O que a gente tem que fortalecer são as políticas que antecipam a entrada do adolescente no ato infracional. As políticas precisam se voltar para a integração desses adolescentes antes que eles entrem na privação da liberdade. Fortalecer as políticas direcionadas para eles dentro das unidades socioeducativas”, refletiu a Secretária Executiva da Coalizão pela Socioeducação, advogada e especialista em Ciências Penais, Thaisi Bauer.

Casos estarrecedores que motivaram as mudanças
O ECA surgiu, principalmente, para enfrentar práticas de abuso contra crianças e adolescentes que eram ainda mais comuns em um passado não tão distante para a sociedade brasileira.

Um exemplo disso é quando menores eram frequentemente recolhidos involuntariamente em instituições com condições precárias e desumanas, mesmo sem qualquer acusação formal. Essa prática resultava, como esperado, na criminalização da pobreza sob o pretexto de uma falsa ideia de proteção social.

Para chegar a essas mudanças, no entanto, histórias estarrecedoras precisaram acontecer. Uma delas veio em 1926, quando o menino Bernardino, de apenas 12 anos, trabalhava como engraxate e foi preso após jogar tinta na roupa de um cliente que se recusou a pagá-lo. Como resultado, ficou quatro semanas preso em uma cela com 20 adultos, e, lá, sofreu todos os tipos de violência, inclusive sexual.

Foram histórias como essa que resultaram no estabelecimento da maioridade penal para 18 anos, no Código de Menores de 1927, que ainda é respaldado pela Constituição Federal de 1988.

Já faz alguns anos, inclusive, que a pauta para diminuição da maioridade penal vai e volta ao contexto nacional. Para a especialista, no entanto, isso apenas contribuiria para o agravamento dos casos de violência e atrapalharia o desenvolvimento dessa parcela da população.

“Se reduzirmos a maioridade penal, a gente começa a colocar os adolescentes cada vez mais cedo nos presídios. Sabemos que o Brasil é o terceiro país que mais prende pessoas no mundo, e isso não faz com que tenhamos menos crimes praticados. Não diminuímos a violência privando a liberdade dos adolescentes, e sim investindo em políticas públicas, como educação, saúde e acesso ao lazer”, pontuou a secretária.

Dados preocupam
Apesar da atuação do estatuto, os dados de violência e abuso no Brasil ainda preocupam. Atualmente, 11.556  jovens estão em privação de liberdade no Brasil, em maioria adolescentes negros.

Vale ressaltar, ainda, que até maio deste ano foram registradas 11.692 denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS), que mostram, também, que 320 pessoas desse público foram exploradas sexualmente a cada 24 horas.

Esses números podem ser ainda maiores, já que muitos casos não são denunciados, o que aumenta ainda mais o sinal de alerta.

“O Brasil tem um processo de escravização arraigado na política. Hoje temos 70% dos adolescentes privados da liberdade que são pretos e pardos. Isso, no entanto, não quer dizer que eles praticam mais crimes. Quer dizer que as políticas de segurança pública e de encarceramento estão voltadas para eles. Então temos vários estudos que olham para isso que é o extermínio da população negra, de forma simbólica e real”, afirmou Thaisi Bauer.


Desafios e lutas diárias
Ainda de acordo com a secretária, um dos principais desafios para a plena atuação do ECA é a disseminação de notícias e dados falsos. Uma delas é a noção de que, por conta do Estatuto, crianças e adolescentes não são responsabilizados por ações que vão ao desencontro da lei. A realidade, no entanto, não é essa.“São dados falsos trazidos pela mídia hegemônica, sem base científica alguma. No ECA, temos o artigo 112, no qual os adolescentes são responsabilizados pelos atos que praticam, inclusive com a privação de liberdade. Nela, eles podem passar da medida de internação até três anos ou até completarem 21 anos. Então eles já são responsabilizados e passam pelo sistema de Justiça”, explicou  Thaisi Bauer.

A luta do ECA ao longo desses 34 anos também trouxe frutos para as crianças e adolescentes do Brasil. Combate esse que, apesar de todos os problemas, continuará para garantir uma vida digna e de qualidade para os mais jovens.

“Por mais que a política esteja ruim, conseguimos reivindicar, através do estatuto, o que é certo. A luta foi árdua e o estatuto foi uma conquista dos movimentos sociais, e é isso que a gente continua fazendo. Lutando para garantir os direitos fundamentais para essas crianças e adolescentes em vulnerabilidade. Vamos para a luta, reivindicar e acompanhar as pautas no Congresso Nacional!”, finalizou a secretária.

Folha PE

Ataque a campo de deslocados deixa ao menos 71 mortos em Gaza, diz Ministério da Saúde

Pelo menos 71 pessoas morreram neste sábado em um ataque israelense ao campo de deslocados de Al Mawasi, no sul da Faixa de Gaza, segundo um novo balanço do Ministério da Saúde do território. A área de Al Mawasi, na costa entre Rafah e Khan Younis, foi declarada “zona humanitária” por Israel, teoricamente segura para os deslocados.

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados da Palestina (UNWRA) estima que cerca de 1,5 milhão de pessoas estejam em Al Mawasi, disse um porta-voz à AFP. O bombardeio deste sábado atingiu a parte que fica no setor de Khan Younis.

Em nota, o ministério denunciou um “massacre da ocupação [Israel] contra cidadãos e pessoas deslocadas” e mais de 289 feridos. O Exército israelense declarou que estava analisando esta informação. “Ainda há muitos corpos de mártires espalhados pelas ruas, sob os escombros e ao redor das tendas dos deslocados que não podem ser acessados devido aos intensos bombardeios da ocupação”, disse Mahmud Bassal, porta-voz da Defesa Civil que mencionou um “novo massacre”.

As vítimas foram levadas para vários hospitais da região. O diretor do hospital kuwaitiano em Rafah, Suhaib al Hams, disse que a maioria das vítimas sofreu ferimentos graves, incluindo amputações. Ele descreveu a situação como um “verdadeiro desastre em meio ao colapso do sistema de saúde”, segundo um comunicado.

Na última semana, vários bombardeios atingiram escolas que acolhem deslocados em um período de quatro dias, causando pelo menos 49 mortes, segundo fontes em Gaza, entre elas o Hamas.

Israel alegou que tinha “terroristas” como alvo. O conflito entre o Exército israelense e o Hamas na Faixa de Gaza eclodiu em 7 de outubro, quando comandos islamistas mataram 1.195 pessoas, a maioria civis, e sequestraram 251 no sul de Israel, segundo um balanço da AFP baseado em dados oficiais israelenses.

Em resposta, Israel lançou uma ofensiva que já matou 38.345 pessoas em Gaza, a maioria civis, segundo o Ministério da Saúde do território, governado pelo Hamas desde 2007.

AFP

Sudesb apoia 6ª Etapa do Campeonato Baiano de Águas Abertas com transporte para atletas

A 6ª Etapa do Campeonato Baiano de Águas Abertas ocorre neste sábado (13) às 12h em Juazeiro, no maior rio do nordeste – o São Francisco. A Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), está concedendo um transporte para a participação de atletas da capital baiana no torneio estadual.

A parceria com a Sudesb é comemorada pelo presidente da Federação Baiana de Desportos Aquáticos (FBDA), que declarou a importância do apoio da Sudesb para o desenvolvimento da competição e o amparo aos atletas. “Esse apoio com transporte tem sido fundamental para desenvolver e fomentar o esporte no estado da Bahia. Isso viabiliza a participação de mais atletas, que sem essa ajuda não teriam condições de disputar essa competição. A cidade de Juazeiro fica ainda mais especial com a ida destes atletas”.

Evento – O presidente sinaliza a importância que a prova na cidade do norte do estado representa para o circuito, que passa pelas águas do mar e do Rio São Francisco. “Juazeiro sempre foi uma das provas mais tradicionais do nosso calendário. Os atletas esperam ansiosamente para nadar nas águas do Velho Chico, e esse ano não podia ser diferente. A gente está esperando uma grande festa. Os atletas vão poder curtir uma experiência diferenciada que é nadar nas águas do Rio São Francisco”.

Este campeonato vai reunir atletas de todas as idades e consiste em quatro provas:  mirim, de 500m; petiz, de 800m; rápida, de 1.900m; e a prova principal, de 5.000m. Todas as largadas serão às 12h. Uma novidade se comparada aos outros anos será a prova rápida de 1.900 metros, com largada em Petrolina, permitindo que os atletas contemplem a beleza do Velho Chico enquanto atravessam das águas pernambucanas às baianas.

A competição vai contar com a participação de mais de 350 esportistas de todo o estado da Bahia e faz parte da seleção para a tradicional Travessia Itaparica x Salvador. Os 180 melhores colocados se credenciam para a disputa.

Ascom Sudesb

Médico de Bolsonaro era funcionário fantasma de agência nos EUA chefiada por pai de Cid, diz Apex

Uma apuração interna da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) concluiu que houve “delitos e graves desvios de conduta“ durante a gestão do general Mauro Lourena Cid — pai do ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro — no escritório de representação em Miami (EUA).

Entre as condutas erradas, está a identificação do médico Ricardo Camarinha como funcionário fantasma do escritório americano. Camarinha cuidava da saúde do ex-presidente Jair Bolsonaro.

“As apurações da Comissão confirmaram notícias publicadas na mídia sobre a contratação, pelo EA (escritório) Miami, do médico de Jair Bolsonaro, que segundo relatos colhidos, foi imposto à equipe, contratado pela sede em Brasília e expatriado por meio de instrumentos de excepcionalidade (memorando, portaria e carta oferta) em abril de 2022. O médico não desenvolvia qualquer atividade profissional que mantivesse ligação com o cargo de assessor, e nem frequentava as dependências do escritório. O fato configura uma contratação fraudulenta”, afirma o texto.

Procurado, o médico não respondeu os questionamentos, e o espaço segue aberto. Em nota, a Apex informou nesta sexta-feira que enviou o caso à Justiça. A apuração tem relação com negociações de joias e presentes de Estado nos EUA, inquérito no qual Bolsonaro e ex-assessores, incluindo Lourena, são investigados. Segundo a Apex, o pai de Mauro Cid usou da estrutura do escritório de Miami indevidamente.

O documento cita “afastamento das funções” e “defesa de pautas golpistas” por parte de Lourena à frente do escritório. Ele foi gerente geral entre 2019 a 2022. A Apex cita que, mesmo demitido, ainda nas dependências da empresa, Lourena usou o celular funcional para compartilhar fotos das joias e objetos de arte do acervo atribuído a Bolsonaro.

Segundo depoimentos, nesse momento, Lourena se encontrava no gabinete que ocupara como gerente geral. As fotos, amplamente conhecidas, foram produzidas também pelo mesmo celular corporativo. A apuração diz ainda que ficou demonstrada, com base nos mesmos relatos, a resistência do general em devolver à Apex o celular.

Médico de Bolsonaro
Ricardo Camarinha era o cardiologista quem acompanhava Bolsonaro em viagens nacionais e internacionais, e estava no serviço público desde 1983. Além de Bolsonaro, ele atendeu também a FHC.

Segundo o colunista Lauro Jardim, em 31 de março de 2022, Bolsonaro exonerou o cardiologista da função de médico da Presidência da República e o enviou, na sequência, para uma vaga de segundo oficial no escritório da Apex Brasil em Miami. Na véspera da posse do novo presidente da Apex, Jorge Vianna, em maio de 2023, Camarinha foi desligado da agência.

No período em que o ex-presidente permaneceu fora do país, após perder a eleição, Camarinha estava nos EUA. Em janeiro, o cardiologista fez uma visita ao condomínio em que Bolsonaro estava hospedado, após o ex-chefe do Executivo ser internado com fortes dores abdominais.

Perguntado pela Revista Época em 2020 sobre o que é preciso para ocupar o cargo, respondeu que não existe característica específica: ” Falo por mim, que estou atento 24 horas por dia, com discrição e confiança profissional” resumiu.

Agência O Globo

Bolsa Família: Governo de Pernambuco encontra irregularidades e define data para pagar o 13º

Uma cobrança feita pela oposição na Assembleia Legislativa, especialmente pelo deputado Sileno Guedes (PSB), para este ano, sairá do papel. Mas para menos gente. O Governo de Pernambuco vai pagar o 13º do Bolsa Família dia 19 de agosto.

Criado em 2019, o benefício caía na conta de 1,6 milhão de famílias em fevereiro. Existe motivo para seis meses de atraso. Em entrevista à Rádio Folha, o secretário de Fazenda do Estado, Wilson José de Paula, informou ter passado um pente-fino na base de dados e encontrou irregularidades em 600 mil cadastros.

“Foi um aprendizado. Na gestão passada, simplesmente se pagava o 13º. Mas resolvemos olhar quem são essas pessoas. Elas são do CadÚnico, e ele merece um olhar especial”, explicou. Com a limpeza, o pagamento será destinado a um milhão de famílias.

“Para se ter uma ideia, tem gente com Porsche, Toyota, carro elétrico. Tem sócio de empresa com capital superior a 200 mil reais e gente com vínculo empregatício.” A revisão rendeu ao Estado uma economia de R$ 170 milhões. “Continuamos gastando com qualidade, para fazer o benefício social chegar a quem realmente interessa.”

Informalmente, já expôs o problema a autoridades do Governo Federal. As 600 mil pessoas que estão fora  terão oportunidade de contestar. Uma equipe vai ouvi-las e corrigir se for o caso. O secretário registrou que já no ano passado houve quatro mil reclamações e apenas 60 delas foram revistas.

Folha PE

Atletas africanos são destaque na Corrida Rústica Internacional do Agronegócio

O queniano Nicolas Kiptoo Kosgei e a etíope Ayelu Lema Deme, ambos de 30 anos, foram os vencedores da categoria de Elite da Corrida Rústica Internacional do Agronegócio, realizada no domingo, dia 7 de julho, em Petrolina. Ele percorreu os 15 km da prova em 44 minutos e 25 segundos, enquanto ela completou a prova em 51 minutos e 36 segundos. Ao todo, 29 atletas de Elite concluíram a prova.

Mas eles não foram os únicos estrangeiros no pódio: ao todo, sete dos 10 atletas que subiram ao pódio dos 15km eram estrangeiros. Entre os homens, foram dois do Quênia e um de Uganda, enquanto entre as mulheres foram duas do Quênia, uma da Argentina e uma da Etiópia. Apenas dois atletas brasileiros chegaram junto com os estrangeiros no pódio. Ao todo, 10 atletas internacionais participaram da corrida.

A presença dos estrangeiros foi celebrada por atletas como Mirela Saturnino, que acredita que os convidados elevam o nível da competição e tiram os brasileiros da zona de conforto. Na avaliação dela, este movimento ajuda, inclusive, os corredores que têm as Olimpíadas como meta.

A segunda edição da Corrida, promovida pela Seiva do Vale, reuniu 1 mil corredores, incluindo atletas internacionais de elite. A corrida foi dividida entre 5km e 15km, sendo que a de 5km também premiou atletas que são profissionais do agro. Também foram premiados atletas que são Pessoas com Deficiência (PCD). Ao todo foram distribuídos R$ 100 mil em prêmios para os primeiros colocados.

Alto nível esportivo
Para o coordenador técnico da prova, Marciano Barros, a prova promovida pela Seiva do Vale já é a maior em nível técnico que já aconteceu no Nordeste. Ele destaca que não apenas os 10 atletas internacionais, mas o nível dos atletas nacionais que estavam inscritos também era muito alto, com líderes de ranking e grandes desempenhos em provas recentes.

Além disso, Marciano apontava na redução de marcas, uma aposta baseada no formato do trajeto, mais plano, e no clima. Tudo contribui para que os atletas corressem mais rápido.

Atletas estrangeiros celebram
Os atletas africanos celebraram a participação no evento no Vale do São Francisco e já fazem planos para voltar nas próximas edições da festa promovida pela Seiva do Vale. Tanto Nicolas quanto Ayelu avaliaram muito bem o percurso, considerado confortável e seguro para proporcionar uma corrida mais rápida. Nicolas é maratonista e acostumado a fazer provas que exigem um ritmo mais brando para garantir bom desempenho do começo ao fim e precisou assumir mais velocidade para garantir o pódio em Petrolina. Mesmo assim, ele se disse satisfeito com o resultado e com a participação na corrida.

Atuando como técnico de três dos atletas africanos participantes da Corrida Rústica, Eduardo Nascimento viu dois deles garantirem pódio, ambos quenianos. Viola Jelagat Kosgie chegou em segundo na prova feminina, com 51 minutos e 56 segundos. E Julius Kiprono Taurus ficou em quarto lugar na prova masculina, cumprindo os 15 km em 45 minutos e 47 segundos. Na avaliação de Eduardo, a estrutura da corrida estava “top”, bem organizada, nível de São Silvestre, inclusive por ser Permit Ouro e por ter a distância de 15km.

15 km – Elite – Masculino
NICOLAS KIPTOO KOSGEI – 0:44:25.76
ABRAHAM KIPLIMO – 0:44:53.26
Wendel Jeronimo – 0:44:58.26
JULIUS KIPRONO TAURUS – 0:45:47.25
Fábio Jesus correia – 0:45:50.75

15 km – Elite – Feminino
AYELU LEMA DEME – 0:51:36.46
VIOLA JELAGAT KOSGEI – 0:51:56.61
VIVIAN JEFTANUI KIPLAGATI – 0:52:04.70
NUBIA DE OLIVEIRA SILVA – 0:53:35.69
MARCELA CRISTINA GOMEZ CORDEIRO – 0:55:12.18

G1 Petrolina

Fórum Sesc Labmais de Juventudes vai ser realizado em Petrolina

 

De 20 a 25 de julho, vai ser realizada a quarta edição do Fórum Sesc LabMais de Juventudes, com a temática “Juventude Criativa, Futuro Sustentável!”, em Petrolina. A programação conta com oficinas formativas, mesas de debate, palestras e apresentações culturais, que evidenciam a questão do racismo ambiental e suas implicações no semiárido brasileiro.

O Fórum é voltado para jovens de 16 a 29 anos e demais interessados na programação. As inscrições para as oficinas são gratuitas e podem ser realizadas na central de relacionamento do Sesc, na Rua Pacifico da Luz, 618, Centro. São apenas dez vagas por tema. O acesso ao restante da programação não necessita de inscrição.

O Fórum promove uma série de atividades com a proposta de estimular o enfrentamento às desigualdades ambientais que afetam as comunidades rurais e periféricas.

As atividades abordam a convivência com o Semiárido e lançam olhar sobre a desconstrução de estereótipos da região nas produções audiovisuais, promovendo o debate e a conscientização acerca das crises climáticas e sociais, justiça ambiental e valorização das culturas locais.

Confira a programação completa:
20 e 21/07 (sábado e domingo) 
Oficina 1 (09h às 12h) – Crochê Sustentável com Mellyssa Cavalcanti (Sala de Audiovisual – Sesc);
Oficina 2 (14 às 17h) – Personalização de Ecobag com Maria Clara (Sala de Artes – Sesc)
Oficina 3 (09h às 12h) – Produção de Sketchbook com Morgana Caroline (Sala de Artes – Sesc);

23/07 (Terça)
Palestra Meio Ambiente e Realidades do Semiárido (17h0 a 18h30) , com Victória Santana (Biblioteca do Sesc);
Mesa 1 (19h) – Modos de ser e estar no Semiárido, com Lealda Maria e Marcos Souza mediação de Yanne Nascimento e Jóston Oliveira (Teatro Dona Amélia);

24/07 (Quarta)
Apresentação Artística do Dayanne Menezes (19h) – no Teatro Dona Amélia;
Mesa 2: Juventudes Criativas e Territórios que Inspiram, com Santiago e Milena Silva, mediação Amanda Rodrigues e Maitê; apresentação Artística de Jaqueline Santos (Teatro Dona Amélia);

25/07 – Quinta
Mesa 3 (19h): Estereótipos do Sertão nas Produções Audiovisuais, com Julia Vasconcelos e Meiwa Magalhães, mediação de Leche Silva e Mariana Braga; Apresentação Artística Malu Rizzo (Teatro Dona Amélia).

G1 Petrolina

HU-Univasf recebe R$ 1,9 milhão de emenda parlamentar para compra de equipamentos

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (HU-Univasf), vinculado à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), recebeu nesta terça-feira (12) emenda parlamentar no valor d R$ 1.950.000,00 da senadora pelo estado de Pernambuco, Teresa Leitão, destinada à compra de equipamentos para a instituição.

Durante a visita, o superintendente do HU, Julianeli Tolentino, destacou que a aquisição dos “equipamentos é importante para o hospital, para a assistência à saúde, o rápido atendimento aos pacientes e como o recurso será fundamental para a melhoria da infraestrutura hospitalar”.

O HU-Univasf é uma unidade de porta aberta para atendimentos de urgência e emergência que incluem politraumatismo, neurologia, neurocirurgia, traumato-ortopedia e cirurgia geral, em média e alta complexidade. A unidade presta atendimento à população de 53 municípios que integram a Macrorregião Interestadual de Saúde do Vale do Médio São Francisco (Pernambuco e Bahia – PEBA).

A senadora enfatizou a relevância do trabalho desenvolvido pelos profissionais do hospital universitário. “Reconhecemos todo o esforço da gestão para que o atendimento seja prestado com a melhor qualidade, com humanização, atendendo às necessidades dos pacientes. Então, para nós, que enviamos emendas para uma instituição desta natureza, o sentimento é de muita tranquilidade. O sentimento é de muito reconhecimento pelo trabalho que está sendo feito e a certeza de que a emenda será muito bem executada”, disse Teresa Leitão.

Sobre a Ebserh

O HU-Univasf faz parte da Rede Ebserh desde 2015. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Ebserh foi criada em 2011 e, atualmente, administra 45 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência. Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) ao mesmo tempo que apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas e inovação.

123