Jovens baianas desenvolvem pulseira localizadora para neurodivergentes e idosos com recursos reaproveitados

As estudantes baianas Ana Clara Cerqueira, Evelyn Rodrigues, naturais de Salvador e Rayka Ravena, de Jacobina, no norte do estado, desenvolveram uma pulseira localizadora para pessoas neurodivergentes e idosas. O projeto usa recursos tecnológicos reaproveitados, o que reduz o que valor de produção e o torna financeiramente viável.

As jovens estão no primeiro ano do ensino médio, têm entre 15 e 16 anos e são orientadas pelo professor Anderson Reis, do Centro Estadual de Educação Profissional em Tecnologia de Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador. Segundo Evelyn, a ideia surgiu a partir da convivência delas com uma pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

“Temos um colega com autismo que anda de bicicleta por 40 minutos para chegar na escola. Os pais, por conta do trabalho, não podem levar ele e sempre precisam ligar para a escola para saber se ele chegou bem. Por isso, pensamos em usar a tecnologia para melhorar a vida dessas pessoas “, contou Evelyn.

“Queremos ajudar as pessoas que não têm tanto poder econômico, que não têm condições de ter um relógio que já vem com essa função localizadora, como o smartwatch. Esses aparelhos são caros, por isso, fizemos um protótipo mais barato”, explicou Ana Clara.Ainda segundo a estudante, o projeto foi totalmente pensado para ser acessível, não somente no aspecto financeiro, já que parte dos recursos tecnológicos do processador que gera e armazena informações são reciclados.

As criadoras adaptaram o tamanho das letras e usaram cores suaves no layout das plataformas, para aumentar a adesão entre pessoas neurodivergentes. Além disso, a pulseira é feita de crochê, evitando alergias ao plástico e deixando o uso mais confortável.

G1 Bahia

Programa de apoio à inovação prorroga inscrições até dia 10

As micro e pequenas empresas com projetos inovadores têm uma chance de tirar a ideia do papel e expandir os negócios. As inscrições para a quinta e última chamada do Programa Ideiaz, que pretende ajudar gratuitamente projetos inovadores de pequenas empresas, foram prorrogadas até a próxima segunda-feira (10).

Em parceria com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) está escolhendo até 300 ideias para receberem capacitação empreendedora, mentorias e apoio tecnológico por dez semanas. O prazo original de inscrição acabaria no último domingo (2), mas foi reaberto por mais oito dias.

Empresas de todo o país podem se inscrever. A assistência aos negócios escolhidos será feita de forma gratuita pelas incubadoras e aceleradoras de empresas associadas ao Programa Ideiaz – Powered by InovAtiva. A rede, que opera em todos os estados, tem como objetivo democratizar o atendimento técnico a empresas inovadoras, ampliando o alcance nacional de negócios que recebem assessoria técnica.

Essa será a quinta e última chamada do Programa Ideiaz. Nos ciclos anteriores, o programa ajudou 696 projetos, que receberam treinamento e assistência tecnológica gratuitos. Nesta chamada, o programa conta com 33 incubadoras e aceleradoras credenciadas.

Procedimentos

Podem inscrever-se empreendedores com projetos nas fases de criação ou ideação, ou seja, cujo produto ainda não tenha sido comercializado ou cujo modelo de negócio ainda não esteja concretizado. Cerca de um terço das vagas serão destinadas às ideias das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Outros 20% irão para projetos com impacto socioambiental positivo.

As propostas serão avaliadas por um comitê de seleção composto por representantes do Sistema Sebrae, da Anprotec e da Secretaria de Desenvolvimento Industrial, Inovação, Comércio e Serviços do MDIC. Também participação da escolha parceiros como entidades de fomento, investidores, especialistas do setor produtivo e professores de universidades. Com as cerca de 300 ideias selecionadas nesta chamada, o programa pretende concluir as atividades atingindo a meta de 1 mil projetos atendidos.

Cada projeto selecionado será encaminhado para um atendimento de dez semanas, totalmente online, com uma das incubadoras ou aceleradoras credenciadas no Ideiaz. Os empreendimentos receberão pelo menos 18 horas de apoio ao seu desenvolvimento. Desse total, pelo menos 10 horas serão de atendimento individualizado, que abrangerá as seguintes atividades:

●   Mentoria;
●   Consultoria organizacional;
●   Suporte tecnológico;
●   Suporte para formalização do negócio;
●   Qualificação empreendedora.

Depois do processo de capacitação, os projetos serão acompanhados e deverão cumprir as seguintes metas: ter um modelo de negócios desenhado e validado, apresentar um protótipo do produto ou serviço desenvolvido e avaliado por clientes e constituir um pitch (discurso) de venda e de defesa do negócio pronto.

Cada projeto deverá ter pelo menos dois integrantes para participarem das dez semanas de atendimento. A capacitação irá além das 18 horas de atendimento. A Anprotec recomenda que os integrantes da equipe dediquem pelo menos meio expediente por dia para desempenhar as atividades necessárias para atingirem os resultados mínimos. O tempo necessário poderá aumentar, de acordo com o nível de conhecimento do time e da maturidade do projeto.

Mais informações podem ser obtidas no edital, disponível na página do Programa Ideiaz na internet. As dúvidas podem ser encaminhadas para o e-mail [email protected].

Cronograma

●   Período de inscrição: até 10 de abril
●   Avaliação das propostas: de 12 a 30 de abril
●   Divulgação dos resultados: 8 de maio
●   Formalização da relação entre ambientes e projetos: de 8 a 19 de maio
●   Período da capacitação: de 22 de maio a 28 de julho
●   Prazo final para a entrega dos resultados mínimos: 28 de julho
●   Entrega do questionário respondido: 4 de agosto