Resultado do 3º LirAa aponta baixo risco de infestação para o Aedes aegypti em Petrolina

O terceiro Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa) de 2024, realizado pela Prefeitura de Petrolina, através da Secretaria de Saúde, apontou nível de infestação do mosquito de 0,5%.

Isso significa que o município apresenta baixo risco para surto de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, de acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde. O levantamento foi feito entre os dias 6 e 10 de maio.

LEIA MAIS

Boletim epidemiológico registra 24.978 casos prováveis de dengue em Pernambuco

A Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE) divulgou nesta quarta-feira (8) o Boletim Epidemiológico das Arboviroses Nº 18, abrangendo os dados das semanas epidemiológicas de 31/12/2023 a 04/05/2024.

O novo levantamento aponta 24.978 casos prováveis de dengue (incluindo casos em investigação e confirmados) em todo o estado.

Eduardo Bezerra, diretor geral de Vigilância Ambiental, ressaltou que, apesar do aumento quantitativo, há uma tendência de queda na inserção de novos casos, indicando que Pernambuco provavelmente está se aproximando do fim da sazonalidade de arboviroses.

LEIA MAIS

Aedes aegypti: Petrolina inicia nova pesquisa do LIRAa na cidade

Até sexta-feira (10), a Prefeitura de Petrolina, através da Secretaria de Saúde, seguirá com a terceira pesquisa amostral para Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) de 2024.

A partir desses dados, que são coletados a cada dois meses, é possível planejar estratégias para controle e combate do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya.

Ao longo da semana, os Agentes de Combate às Endemias (ACE) percorrerão todos os bairros do município realizando visitas domiciliares, verificando os espaços que possam se tornar possíveis criadouros ou que já tenham a presença de foco do Aedes.

São verificados, por exemplo, locais que tenham água parada em reservatórios, acúmulo de lixo, garrafas, pneus, calhas, vasos de planta, entre outros.

LEIA MAIS

Com os casos de dengue em alta no Estado, setores econômicos podem perder R$ 84,5 milhões até o fim deste ano

(Foto: AFP Photo)

A incidência crescente de casos de dengue e outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti em Pernambuco está gerando um impacto significativo nas operações das indústrias do estado.

De acordo com um estudo realizado pela Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), até a 15ª semana de abril, o prejuízo financeiro já atingia a marca de R$ 35,5 milhões.

Segundo o economista da FIEPE, Cézar Andrade, o aumento dos casos de arboviroses tem sido uma preocupação constante para as indústrias, afetando desde o absenteísmo devido às licenças médicas até a redução da eficiência do trabalho devido aos sintomas das doenças.

LEIA MAIS

SES-PE divulga dados do boletim Epidemiológico Nº 17 de Arboviroses

A Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE) divulgou o Boletim Epidemiológico das Arboviroses Nº 17, abrangendo os dados das semanas epidemiológicas de 31/12/2023 a 27/04/2024.

Segundo o novo levantamento, foram registrados 24.080 casos prováveis de dengue (incluindo casos em investigação e confirmados) no estado. Em comparação com os dados da Semana 16, observou-se uma desaceleração, com cerca de 1.000 casos prováveis a menos.

Atualmente, o número de casos prováveis de dengue representa um aumento significativo de 601,2% em relação ao mesmo período de 2023. Dentre esses casos, 2.447 foram confirmados, incluindo 44 classificados como graves e 2 óbitos confirmados.

LEIA MAIS

Pernambuco amplia faixa etária de acesso à vacina contra a dengue

Vinte municípios pernambucanos autorizados pelo Ministério da Saúde (MS) para realização da estratégia de vacinação contra a dengue agora podem ampliar a faixa etária de acesso ao imunizante.

Seguindo a recomendação do órgão federal, o Programa Estadual de Imunizações (PEI-PE) informou aos municípios que crianças e adolescentes com idades entre 10 e 14 anos estão aptos a receber a vacina. Anteriormente, a orientação era vacinar meninos e meninas com 10 e 11 anos.

LEIA MAIS

Casos de dengue seguem aumentando em Pernambuco

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) divulgou nesta quarta-feira (24) o Boletim Epidemiológico das Arboviroses Nº 16, abrangendo os dados das semanas epidemiológicas de 31/12/2023 a 20/04/2024.

O novo levantamento revela um aumento de 13% no número de casos prováveis de dengue em relação à semana anterior, indicando, mesmo com o aumento, um momento de estabilidade nos casos.

Atualmente, o número de casos prováveis de dengue é de 22.459, representando um aumento de 593,2% em comparação ao mesmo período de 2023. Dos casos confirmados, 1.921 foram registrados, incluindo 35 casos graves e 2 óbitos confirmados. O segundo óbito confirmado ocorreu em 17 de fevereiro, com detalhes do perfil a serem fornecidos posteriormente.

LEIA MAIS

Dengue: Brasil tem 86 mil doses de vacina que perdem a validade neste mês

Ao menos 86 mil vacinas contra a dengue estão a uma semana do vencimento, e ainda não foram aplicadas, de acordo com levantamento feito pelo Correio.

O lote de 668 mil doses com validade até 30 de abril foi doado pelo laboratório Takeda ao Ministério da Saúde, no início deste ano, para que a campanha de imunização se iniciasse com agilidade. Mas a quantidade de imunizantes próximos de expirar pode ser ainda maior.

Em 18 de abril, a pasta recomendou aos municípios que têm fármacos desse estoque a ampliação da faixa etária para seis a 16 anos, podendo aumentar para quatro a 59 anos — limite de idade recomendado pela bula — em caso de possibilidade de desperdício.

LEIA MAIS

‘Vigilância nas Escolas’: programa conscientiza crianças de escolas municipais sobre combate à dengue

A semana começou de maneira lúdica e bastante informativa na Escola Municipal José Joaquim, que recebeu a ação do programa ‘Vigilância nas Escolas’.

A Prefeitura de Petrolina, através da Secretaria de Saúde, apresentou para mais de 200 crianças sinais e alertas sobre a presença do mosquito Aedes aegypti transmissor das doenças dengue, zika e chikungunya. A demonstração foi feita em forma de peça teatral.

Os alunos ficaram atentos às informações passadas e tiveram a oportunidade de identificar quais são os ambientes de risco para a proliferação do mosquito. O intuito dessa ação é conscientizar os adultos através do aprendizado das crianças nas escolas.

LEIA MAIS

Juazeiro: Prefeitura realiza mutirão de combate à dengue no Residencial Juazeiro ll neste final de semana

Os agentes de endemias chegaram cedo ao Residencial Juazeiro ll neste sábado (20) para realizarem a inspeção dos imóveis residenciais e comerciais em busca de focos de reprodução do mosquito Aedes aegypti. A prefeitura de Juazeiro, por meio da Secretaria de Saúde (Sesau), vem desenvolvendo ações de prevenção e combate à dengue.

“Estamos com mais de 55 agentes atuando no bairro neste final de semana das 8h às 12h. Os agentes inspecionam os imóveis e orientam a população quanto aos cuidados para prevenir a contaminação da doença. A previsão é visitar 1.135 casas nesse final de semana. Pedimos o apoio da população que recebam nossos agentes” , disse a coordenadora do Núcleo de Endemias, Núbia Almeida Barbosa.

Prevenção

A população precisa estar atenta aos cuidados em relação ao acúmulo e condicionamento de água. É necessário esvaziar garrafas e mantê-las com a boca virada para baixo, limpar calhas, colocar areia nos pratos de vasinhos das plantas, tampar tonéis, lixeiras e caixas-d’água e colocar objetos, como pneus e lonas, abrigados da chuva.

Dengue Zap

O Núcleo de Endemias disponibiliza o Dengue Zap para que a população possa colaborar com identificação e combate aos focos de reprodução do mosquito Aedes aegypti. O ‘Dengue Zap’ está disponível para receber mensagens de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, através do número: (74) 99945 – 5371.

Marcela Cavalcanti/Ascom Sesau
Fotos: Luan Medrado/Ascom

Brasil atinge 1,6 mil mortes confirmadas por dengue

O Brasil alcançou a marca dos 1.601 óbitos por dengue confirmados em 2024. Além disso, outras duas mil mortes seguem em investigação e podem ter sido causadas pela doença, totalizando 3,6 mil mortes confirmadas ou suspeitas até o momento. Os dados são do painel de casos do Ministério da Saúde atualizado nessa sexta-feira (19).

O número de mortes confirmadas é 35% superior a todo o ano de 2023, quando 1.179 brasileiros perderam a vida para doença. A diferença entre os casos ainda em investigação de 2023 e 2024 supera os 1.707%. Do ano passado, apenas 114 ocorrências seguem em investigação.

Em relação aos casos prováveis da doença, os números chegam a 3,535 milhões em 2024 contra 1,649 milhão em 2023, aumento de 114%. Já o coeficiente de incidência de casos por 100 mil habitantes cresceu de 773 em 2023 para 1.741 casos prováveis para cada 100 mil brasileiros em 2024.

As mulheres são as mais afetadas pela doença, representando 55% das ocorrências prováveis, contra 44% de pessoas do sexo masculino. A faixa etária mais afetada é dos 20 aos 29 anos, com 358 mil mulheres dessa faixa etária atingidas contra 299 mil homens.

Apesar do aumento expressivo no número de casos e óbitos, a letalidade da doença em relação ao total de casos teve leve redução. De uma letalidade de 4,83% em casos graves em 2023 para 4,35% em 2024. Além disso, a letalidade dos casos prováveis passou de 0,07% para 0,05% no mesmo período.

Estados
Proporcionalmente, as unidades da federação com a situação mais grave da doença, índice calculado por casos prováveis a cada 100 mil habitantes (coeficiente de incidência), são: Distrito Federal (7,9 mil x 100 mil); Minas Gerais (5,3 mil x 100 mil); Paraná (3,0 mil x 100 mil); Espírito Santo (2,9 mil x 100 mil); Goiás (2,5 mil x 100 mil); Santa Catarina (2,0 mil x 100 mil); São Paulo (1,8 mil x 100 mil); e Rio de Janeiro (1,3 mil x 100 mil).

Na parte embaixo da tabela, com os melhores índices de incidência, estão os estados de Roraima (36 casos x 100 mil); Ceará (96 casos x 100 mil); Maranhão (128 casos x 100 mil); Sergipe (137 casos x 100 mil) e Alagoas (152 casos x 100 mil).

Agência Brasil

Pernambuco tem aumento de mais de 500% nos casos prováveis de dengue em relação ao mesmo período de 2023

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) divulgou nesta quarta-feira (17/04) o Boletim Epidemiológico das Arboviroses Nº 015, abrangendo os dados das semanas epidemiológicas de 31/12/2023 a 13/04/2024.

De acordo com o novo levantamento, houve um aumento significativo de 15,3% no número de casos prováveis de dengue em comparação com a semana anterior.

Atualmente, o número de casos prováveis de dengue é de 19.874, representando um aumento de 564% em relação ao mesmo período de 2023. Entre esses casos, 1.434 foram confirmados, com 31 casos graves notificados e 1 óbito confirmado. Além disso, 12 óbitos foram descartados para arboviroses, enquanto 23 continuam em investigação.

LEIA MAIS

Cuidados com a dengue: equipe da Prefeitura visitou mais de 2 mil residências em Petrolina

A Prefeitura de Petrolina, através da Secretaria de Saúde, realizou durante o domingo (14), um mutirão de combate a dengue em três bairros da cidade.

As localidades apresentaram risco elevado para surto pelas doenças transmitidas pelo Aedes, de acordo com o último Levantamento Rápido de índices para o Aedes aegypti. Ao todo, foram visitados 2.422 imóveis nos bairros: Residencial Monsenhor Bernardino, Jardim Imperial e Portal da cidade.

LEIA MAIS

Combate à Dengue: Petrolina promove mutirão nesse final de semana

Neste domingo (14), a Prefeitura de Petrolina, através da Secretaria de Saúde, está promovendo mais um mutirão no combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya.

Os Agentes de Combate às Endemias (ACE) estão realizando vistorias em domicílios e orientando os moradores dos bairros Jardim Imperial, Portal da Cidade e Monsenhor Bernardino sobre a importância de eliminar recipientes que possam servir de criadouro para o mosquito.

LEIA MAIS

Pernambuco inicia vacinação contra dengue nesta terça-feira

(Foto: Internet)

A partir desta terça-feira (9), Pernambuco dá início à vacinação contra a dengue. A Secretaria Estadual de Saúde distribuiu as 72.020 doses do imunizante recebidas pelo Governo Federal.

Vinte municípios da I Regional de Saúde do Estado (I Geres) participarão da primeira fase da vacinação, voltada para o público infantil. Confira o cronograma dos principais municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR).

O esquema vacinal da dengue é composto por duas doses, com um intervalo de três meses entre elas, permitindo que o sistema imunológico se fortaleça progressivamente contra os sorotipos do vírus. É importante lembrar que, em casos de diagnóstico precoce de dengue, é necessário aguardar seis meses para iniciar a vacinação.

LEIA MAIS
123